QUAL É O MELHOR CAMINHO DE SALTA A PURMAMARCA?



Pontuação média      1 opiniões
4015

  Jules Picart 03/08/2022

Qual é o melhor caminho de Skip para Purmamarca?

Importante cidade com atividade crescente Purmamarca é a porta sul da Quebrada de Humahuaca, o local mais famoso da província de Jujuy. De Salta, onde você pode alugar um carro, existem três rotas para este lugar maravilhoso:
mais rápido: seguir a Rodovia 9 até General Güemes e depois a Rodovia 66 até San Salvador de Jujuy; dura cerca de uma hora e meia.
O mais aventureiro: Rota 51 ao longo da linha de trem em Clouds até San Antonio de los Cobres, e depois a trilha 79 que margeia as Salinas Grandes até cruzar a rota 52: aqui só resta passar a ladeira do Lipan antes de chegar calmamente a Purmamarca. Dê a si mesmo 7 horas e verifique primeiro as condições da pista, prefira um caminhão ou um 4x4.
most bela: a rota da cornija, que atravessa a montanha, e designa o trecho da rota 9 entre Salta e San Salvador de Jujuy. Devido à presença da Highway 9, ela não é muito utilizada. Também se explica pelo fato de cruzar as yungas, os vales andinos que começam a surgir e tornam a estrada muito estreita e sinuosa em alguns lugares. Evite levá-lo à noite ou com tempo chuvoso, mas você não vai se arrepender das vistas que oferece, especialmente ao cruzar da província de Salta a Jujuy e no reservatório de Las Maderas.


Na última opção, a viagem leva aproximadamente duas horas até San Salvador de Jujuy. Lá, não há nada de especial para fazer, já que esta cidade ativa não preservou nada do seu passado colonial. É possível parar na Plaza Belgrano para admirar suas fontes, suas grandes árvores e os prédios que a cercam (a prefeitura, a casa do governo, a catedral e seu museu), mas logo se percebe a falta de lojas e bares. 



Saímos rapidamente de San Salvador de Jujuy em direção à sua província, uma região montanhosa onde o ar fica mais claro devido à altitude. Direcção para a Quebrada de Humahuaca, Património Mundial da UNESCO! Esta Argentina andina, próxima da Bolívia tanto geograficamente quanto em seu modo de vida, representa quase 10.000 anos de história. As civilizações se sucederam e o quíchua ainda é falado hoje ao lado do espanhol.



A cerca de 20 quilômetros ao norte, pela rota 9 que margeia o Rio Grande, calma no verão e seca no inverno, há as pequenas cidades de Villa Jardín de Reyes e Yala. Ambas levam, respectivamente, às Termas de Reyes e às Lagunas de Yala ao longo de uma rota que pode ser completada em meio dia como um loop. Recomendamos aos amantes de caminhadas na montanha, como um simples contato com a natureza para descobrir esta selva verde, que ainda não é muito popular.

Para chegar lá, saia da rota 9 à direita para pegar uma trilha de cascalho, que é muito sinuoso e íngreme em alguns lugares. Portanto, é melhor evitar ir até lá em um carro citadino. Entramos no Parque Provincial Potrero de Yala, com a primeira parada no estacionamento. Laguna Rodeo é um lugar ideal para descansar e fazer um piquenique tranquilo enquanto admira a bela paisagem que o rodeia. Há um caminho que circunda o lago se você quiser dar um passeio, e há algumas trilhas disponíveis, de diferentes dificuldades: jujuyturismo.com.ar/yala.php. Para quem esqueceu do piquenique, o restaurante La Turuca dá as boas-vindas nas alturas do lago, prometendo uma vista imbatível do local. Dormir lá também é possível.

Pegamos a trilha inicial para acessar outros lugares, como Laguna Comedero ou Cascada de Reyes, escondidos pela vegetação exuberante, até chegarmos às Termas de Reyes. Este grande hotel construído na encosta da montanha permite que você relaxe nas margens do rio Reyes, e oferece uma bela vista do vale esculpido pelo leito do rio a partir de seus diferentes pontos de vista.

< br style= "box-sizing: inherit;">
Voltando para a rota 9, onde a paisagem das yungas, até então verde, aos poucos dá lugar a uma paisagem mais desértica composta por espinhos arbustos e cactos, cactos todos mais altos que os outros. Entramos na ravina e vemos a variação de cores que compõem o fundo da montanha, do ocre ao cinza e bege, dependendo da hora do dia: isso nos dá uma ideia do que nos espera mais ao norte. As poucas aldeias por onde passamos estão a mais de 2000 metros de altitude. A cidade de Tumbaya, última parada antes de Purmamarca, que fica a apenas 20 quilômetros de distância, tem no centro uma pequena igreja amarela, bem conservada por dentro e por fora, além de um cemitério com algumas sepulturas coloridas.








5

Média entre 1 ratings
5 Excelente
4 Muito bom
3 Regular
2 Mau
1 Horrível

 

Todo mundo Excelente (1) Muito bom (0) Regular (0) Mau (0) Horrível (0)


LUCIA MING  08/04/23
Sucinto e esclarecedor
Informação relevante para quem pretende fazer um roadtrip na região. gracias

San Antonio De Areco Para Viver A Cultura Gaúcha Argentina

Correntes, A Avenida Que Nunca Dorme

Onde Você Pode Praticar Esportes Na Cidade?

Coisas Para Fazer Em Esteros Del Ibera

Todas as informações da América do Sul

Cadastre-se com seu e-mail para receber artigos sobre turismo